Buscar

Nobres ensinamentos do Presidente Kim Il Sung



O artigo que publicamos a seguir é uma tradução não oficial do artigo Nobres ensinamentos e cálido amor do Presidente Kim Il Sung, de autoria de Ogami Ken-ichi, Secretário-Geral do Instituto Internacional da Ideia Juche (IIJI). O artigo foi publicado originalmente no site do IIIJ, por ocasião do seminário online A veracidade e a vitalidade da Ideia Juche – bandeira da causa pela independência da humanidade, organizado pelo Instituto Internacional da Ideia Juche e com apoio da Associação Coreana de Cientistas Sociais, para celebrar o 110 º aniversário de nascimento do Presidente Kim Il Sung.


Ogami Kenichi - Secretario Geral do Instituto Internacional da Ideia Juche


Em 15 de abril de 2022 celebramos os 110 anos de nascimento do Presidente Kim Il Sung.


Cada vez que celebramos o dia de nascimento do presidente Kim Il Sung recordo dos dias que entrevistava o Presidente e recebia muitíssimos ensinamentos preciosos seus.

Presidente Kim Il Sung que amava o seu povo e lutava com seus pés postos em seu país

Na luta revolucionária o líder joga um papel decisivo. A revolução se desenvolve no curso em que se funda e se pratica por seu líder a ideologia que reflete as demandas da época.


Em meados do século XIX, Marx estabeleceu o marxismo e desenvolveu a teoria socialista utópica para a cientifica, fazendo uma grande contribuição histórica a obra da emancipação da classe operaria e a construção de seu destino.


No princípio do século XX, Lenin escreveu “O Imperialismo, fase superior do capitalismo” e, pela primeira vez na história, conduziu ao triunfo a revolução socialista na Rússia.


O presidente Kim Il Sung traçou o caminho a libertação dos coreanos que foram despojados de seus nomes e viviam na extremidade devido a exploração sob o domínio colonial japonês. Ele também rechaçou a ofensiva armada superior das forças imperialistas que se atreveram a derrotar a jovem Coreia e edificou um Estado soberano e independente.


Podemos dizer que o povo coreano abriu a porta da era de independência ao ter rechaçado aos dois imperialismos, do Japão e dos EUA, lutando e se agrupando sob a sabia direção do Presidente Kim Il Sung.


O imperialismo norte-americano se viu obrigado a correr pelo caminho do declínio e o mundo acolheu a nova era em que as massas populares, despertas na independência, forjaram seu próprio destino.


O presidente Kim Il Sung fundou a Ideia Juche durante a luta revolucionária antijaponesa e baseado nela, promoveu e construiu a revolução.

Graças a Ideia Juche foram aclaradas a posição e o papel do homem no mundo e a humanidade pôde trilhar seu destino com objetivo e consciência.


O Presidente Kim Il Sung, não somente edificou na Coreia um país socialista do Juche, mas também liderou o movimento pela independência e pela paz com o exemplo de seu país, e estimulou os povos do mundo.


Em 16 de abril de 1975, quando me encontrei pela primeira vez com o Presidente Kim Il Sung, ele me instruiu o seguinte:


“A obra da independência dos povos do mundo está, todavia, incompleta. Temos muitas tarefas por aclarar na teoria e na prática. Adiante devemos lutar mais, acumular mais experiencia e enriquecer mais a teoria. A obra que fazemos agora é a justa e promissora. Temos que guardar com grande orgulho desta obra...


...Como vocês também vivem na era da independência, sejamos companheiros e nos esforcemos juntos para despertar toda a gente e fazer-lhes a lutar pela independência. Igual a a chama que cresce de uma faísca, no futuro a ideia Juche se divulgará aos quatro ventos. Nós também estamos apenas começando esta luta. Estou seguro de que esta luta se estenderá...”


Assim o Presidente Kim Il Sung me estimulou a compartilhar vida e morte, alegrias e tristezas, e a me esforçar, sendo um camarada da era da independência.

Também o Presidente Kim Il Sung mencionou que despertar aos povos e conduzi-los no caminho de defender a independência no caminho de estudar, disseminar e praticar a Ideia Juche constitui a contribuição a toda a humanidade.


Presidente Kim Il Sung formou o seu sucessor pela vitória final da revolução


A obra revolucionária encaminhada a lograr cabalmente a independência do povo deve continuar até a construção do comunismo e lograr a vitória da revolução mundial. Assim, a causa revolucionária não termina em uma só geração, mas se reveste do caráter prolongado. A causa revolucionária se cumprirá como um todo somente quando herdada pelas diversas gerações.


O Presidente Kim Il Sung formou com excelência o seu sucessor e deu a humanidade a garantia do triunfo final da revolução.


Quando me encontrei com o Presidente Kim Il Sung, em 19 de janeiro de 1987, me senti tão íntimo com o Presidente que lhe perguntei como era o Secretário-geral Kim Jong Il, apesar de tal pergunta ser um tanto indiscreta.


Então o Presidente Kim Il Sung me respondeu que o secretario de organização Kim Jong Il tinha uma infinita modéstia.


E me narrou uma anedota antiga da China, de Confúcio, de que a geração vindoura possa superá-la:


"...Foi quando a China estava dividida em 7 países: no caminho umas crianças brincavam fazendo castelos de barro. Confúcio, que ia na carruagem, falou para lhes abrir passagem. Então uma das crianças o repreendeu que logicamente a carruagem deveria ceder ante o castelo e não vice-versa. Confúcio se surpreendeu porque a criança tinha razão. Ele desceu de seu carro e perguntou a criança quantas pessoas habitavam a aldeia. Então o pequeno perguntou por sua vez se sabia quantas sobrancelhas tinha. O ancião ficou sem resposta e a criança o respondeu como seria possível que soubesse quantos habitantes viviam na aldeia, igual ao ancião não soube quantas sobrancelhas tinha. Então Confúcio disse que a geração vindoura pode superá-lo."


Desta maneira, o Presidente Kim Il Sung, expressou sua confiança absoluta no Secretário-Geral Kim Jong Il e na nova geração.


Eu pedi ao Presidente Kim Il Sung que permitisse imprimir no exterior as obras do Secretário-geral Kim Jong Il.


O Presidente Kim Il Sung aceitou o meu pedido, e as obras do Secretário-geral Kim Jong Il foram impressas e os povos do mundo puderam estudar mais profundamente a ideia Juche.


Os adeptos japoneses da Ideia Juche organizaram em distintos lugares Institutos de Estudo das Obras de Kim Jong Il e sobre esta base, formaram em 5 de fevereiro de 1994 a Associação Nacional de Contatos dos Institutos de Estudos das Obras de Kim Jong Il.

Tal como o Presidente Kim Il Sung criou o Secretário-geral Kim Jong Il, este confiou no Secretário-geral Kim Jong Un e o formou sucessor da causa revolucionária do Juche.


O Secretário-geral Kim Jong Il disse:


“...O camarada Kim Jong Un, compartilhou dificuldades com o povo e experimentou muito a vida durante a Árdua Marcha, período mais árduo de nossa revolução. À medida que superava com o povo as provas e dificuldades, guardou ainda mais firmemente a confiança nos camaradas revolucionários no povo, e a convicção na justeza da causa revolucionária do Juche, e gravou no fundo do coração a verdade de que para um revolucionário a confiança é maior, mais poderosa e valiosa que o amor. Efetivamente o camarada Kim Jong Um nunca se esqueceu dos anos da Árdua Marcha...


...O camarada Kim Jong Un conta com a capacidade e os traços extraordinários para ser o dirigente e disfrutar do pleno apoio e confiança do povo...”


Para que muitos japoneses possam estudar as Obras do Secretário-geral Kim Jong Un, imprimimos o Tomo I e II de suas Obras. E pelo centenário de nascimento da Senhora Kim Jong Suk, fundamos em 24 de dezembro de 2017, em Osaka, o Instituto de Estudos das Obras de Kim Jong Suk.


O Presidente Kim Il Sung deixou para o Secretário-geral Kim Jong Il o que não conseguiu terminar; e este deixa ao Secretário-geral Kim Jong Un o caminho a ser seguido para culminar a causa revolucionária de Juche.


Sendo camarada que ama os povos do mundo e vive pela independência do mundo


O Presidente Kim Il Sung não somente se encarregou da revolução coreana, mas também prestou atenção profundamente a independência e a paz no mundo e nos deu lições valiosas, sendo nosso camarada.


Em 25 de setembro de 1977, o Presidente Kim Il Sung foi entrevistado pela Delegação Acadêmica de Estudos da Ideia Juche do Japão, encabeçada por Yasui Gaoru, Presidente do Comitê de Solidariedade entre os Sociólogos da Coreia e do Japão.


Durante o Seminário Internacional sobre a Ideia Juche de Pyongyang, foi adotado por unanimidade o projeto de fundar órgão permanente internacional sobre a ideia Juche, e então o Presidente Kim Il Sung instruiu que os povos do mundo pediam a ideia Juche, e que eles tinham que optar pelo caminho da independência e unir-se na base da independência.


Depois de receber os ensinamentos do Presidente Kim Il Sung, a delegação do professor Yasui Kaoru regressou ao país e empreendeu em seguida as atividades para estabelecer o Instituto Internacional da Ideia Juche.


Em 9 de abril de 1978, 800 seguidores da ideia Juche de mais de dez países do mundo se reuniram em Tokio para fundar o Instituto Internacional da Ideia Juche. A partir de então os povos do mundo puderam contar com a garantia organizativa e ideológica para impulsionar o caminho para a revolução e a construção de seus países.


Desde os primeiros dias de sua luta, o Presidente Kim Il Sung manteve e praticou a posição independente e os métodos criativos de fazer a revolução do país apoiando-se em seu povo e de acordo com as condições do país.


Quando o Presidente Kim Il Sung foi entrevistado por mim, em 17 de setembro de 1990, ele me disse o seguinte:


“...Em meados da década de 1920, a Internacional Comunista me recomendou estudar na Universidade Comunista da URSS. Naquele então havia seitas entre os comunistas coreanos e a maioria de seus líderes foram convocados pelo Internacional Comunista para estudar em tal universidade. Meus camaradas ficaram muito contentes e fizeram inclusive os preparativos da despedida. Mas eu disse que estava agradecido pelo convite, mas que não iria para a URSS estudar.


Então argumentei que seria possível estudar na Coreia também; apreender das experiencias da revolução de outros países seria significativo, mas isso poderia fazer em outros dias de condições favoráveis, e que como estávamos fazendo a revolução na Coreia, deveríamos apreender a metodologia da revolução coreana a partir do povo coreano e mediante a luta revolucionária.”


Desde então mantive invariavelmente a posição de aprender do povo coreano como fazer a revolução coreana. Os líderes das seitas, mesmo depois de estudarem na URSS e voltarem ao país, se negaram a se compenetrar com as massas e se dedicaram as disputas sectárias. Observando seus atos, concluí que eles não faziam a autêntica revolução e guardei ainda mais firmemente a ideia Juche de fazer a revolução desde a posição independente de um revolucionário coreano sob o apoio do povo coreano...”


Guardei no meu coração os ensinamentos do Presidente Kim Il Sung e decidi trilhar cabalmente a luta no Japão, apoiando-me nos japoneses e de acordo com a mentalidade e os sentimentos dos japoneses.


Desde os anos quando a Coreia era uma colônia, o Presidente Kim Il Sung prestou grande atenção a obra de construir o socialismo e o comunismo na Coreia e promover vitoriosamente a revolução mundial.


Quando o Presidente Kim Il Sung foi entrevistado por mim, em 19 de janeiro de 1987, me deu as seguintes instruções:


“...Algumas pessoas de um certo país estão receosas da construção do comunismo dizendo que esta obra não se cumprirá mesmo depois de centenas de anos, enquanto algumas de outro país estão impacientes gritando que a obra se cumpra imediatamente. Eu digo que se não cumprimos com o comunismo, mesmo depois de centenas de anos, não vale nada fazer a revolução. Mesmo a Coreia estando dividida, decidimos lograr a vitória final do socialismo no Norte.


... devemos construir antes de tudo a sociedade sem classes eliminando as diferenças entre os camponeses e a classe operaria e praticar as políticas comunistas. Durante a construção da sociedade comunista, nos custará muito transformar a ideologia dos capitalistas, mas devemos fazê-lo com tenacidade e levá-los também a sociedade comunista.”


O Presidente Kim Il Sung viveu com magna vontade de que deveria cumprir sem falta com a obra benéfica ao povo, apesar das grandes dificuldades.


O amor e a confiança do Presidente Kim Il Sung gravados no coração de todos meus familiares


Os ensinamentos e o amor do Presidente Kim Il Sung ficaram gravadas profundamente no coração de todos os meus familiares. Em 2 de abril de 1993, o presidente convidou a minha família e nos fez calorosos pedidos. O Presidente nos esperava com a mesa repleta de biscoitos e demais comidas para crianças.


O Presidente disse as crianças que viessem a cada ano e então ele mesmo os guiaria aos montes Paektu, Myohyang e Kumgang.


Como resposta de agradecimento, meus filhos cantaram a canção que eles compuseram para o Presidente. Estavam tão nervosos que não cantaram devidamente, mas o Presidente se mostrou muito contente e os aplaudiu.


No ano seguinte, o Presidente Kim Il Sung faleceu para a nossa tristeza, mas também seguiram vivos eternamente em nossos corações o amor e a confiança do Presidente.


A causa revolucionária incompleta do Presidente foi sucedida pelo Secretário-geral Kim Jong Il, e hoje, é continuada pelo Secretário-geral Kim Jong Un.


Sob sua direção, o povo coreano luta pela vitória total do socialismo e a longo prazo pela edificação do comunismo.